domingo, 23 de agosto de 2009

Derretendo Satélites

"Abro com as mãos, te deixo olhar
Te levo pra dentro devagar
Sempre venho aqui nesse lugar
Tomar xerez da tua boca
Provar o sal do mar, mostrar um verso
Provar um amor eterno
Onde a sua mão está agora?
A minha você sabe bem
Quanto mais tempo demora
Mais violento vem

Falando absurdos
Virando a noite
Perdendo senso
Derretendo satélites"

Paula Toller

3 comentários:

israelbasso disse...

Agora eu era o rei
Era o bedel e era também juiz
E pela minha lei
A gente era obrigado a ser feliz
E você era a princesa que eu fiz coroar
E era tão linda de se admirar
Que andava nua pelo meu país.

Chico Buarque

paolita disse...

indecentes!!! :)

nelinho disse...

carlota não liga para a paolita,
o amor e mesmo indecente!

Seguidores